[BEDA] Séries que você já assistiu por completo

Hoje o tema do BEDA são os seriados que já assistimos por completo.

Eu não sou muito disciplinada com seriados, às vezes demoro demais para começar/terminar. Um pouco é pelo fato de não conseguir maratonar séries com episódios muito longos. Mesmo quando a série é boa, eu consigo ver no máximo 3 eps na sequência…

Mas se os episódios são curtos, com 30 minutos, por exemplo, eu consigo ver 1 temporada em 1 dia. Como aconteceu com Girls.

Vou citar apenas 5 séries ok, senão o post fica muito longo…


1 – BREAKING BAD

Demorei anos para começar, mas não me arrependo.

Quando era modinha, eu ficava meio irritada com as pessoas falando comigo como se eu tivesse a obrigação de ver o seriado e amá-lo. Acho que não é assim que você apresenta uma série para alguém.

Quando finalmente consegui sobreviver à primeira temporada, que eu acho chatérrima, fiquei realmente viciada. Assistir BB se tornou um hábito, e eu não dormia sem ver um episódio, ainda bem que tinha tudo na Nextflix.

Acho Breaking Bad um seriado muito inteligente, e fiquei feliz de ter começado depois que acabou, porque assim eu consegui ver tudo no meu ritmo, sem ter que esperar nada.

2 – GIRLS

Comecei a assistir tarde, neste ano mais precisamente. Eu já “conhecia” a Lena Dunham (que atua na série, além de tê-la produzido) há algum tempo, ela é (era mais) super ativa na internet, e já tinha lançado uma bio que eu li em 2015. Era para ter começado a assistir Girls em 2015, que foi quando eu soube da existência da série, mas naquele tempo eu não parava em casa, e acabei procrastinando.

Quando sentei para assistir viciei muitooo! A série é ótimaaa! Eu tava até reassistindo alguns eps hoje.

SUPER RECOMENDO!

3 – LOST

LOST. Quando falei sobre o filme Náufrago, comentei que gosto dessa temática né, então. Lost é beeem comprido, mas não me cansou assistir, quer dizer, a 4ª e a 5ª temporada são meio caídas (na minha opinião). Mas no geral, o seriado é bom demais! É um clássico!

*NOTA: Eu comecei com Lost quando passava na Globo. Mas não conseguia acompanhar porque passava muito tarde, e eu acabava dormindo. Só depois que encontrei na internet é que consegui assistir direito.

4 – SEX AND THE CITY

Odeio quando comento que gosto de SATC e as pessoas me tratam como se eu fosse uma pessoa fútil. Tem uma protagonista viciada em sapatos? Sim, tem. Mas é uma hipocrisia rotular essa série, que é tão legal com base nesse fato. Para dizer se é ruim ou boa, tem que assistir né, óbvio.

Seriado divertido, com boas histórias! Quatro amigas com mais de 30 anos que estão… se divertindo! Sim! Elas vão à festas, já possuem uma certa estabilidade profissional, cada uma de um jeito diferente, assim como você e suas amigas. Ou seja, assista.

5 – BIG LITTLE LIES

Esta é uma série baseada num livro com o mesmo nome, que saiu no começo desse ano. Eu li o livro correndo, para poder assistir o seriado.

Aqui o tema é SORORIDADE. É legal assistir para fugir um pouco da mesmice. As histórias de BLL facilmente aconteceriam na vida real, quer dizem, acontecem.

 


Dos 5 seriados que citei, 3 possuem um núcleo totalmente feminino, haha. São os meus preferidos <3!

Anúncios

[BEDA] 5 animações que você não cansa de ver

Mais um post sobre gosto pessoal… adoro!


1- Up! Altas aventuras

2 – A viagem de Chihiro

3 – Procurando Nemo

4 – Toy Story (Todos)

5 – Ghost in the shell


Não vou falar de um por um, porque creio que sejam todos conhecidos, até Ghost in shell, que teve um filme lançado recentemente.

Mas caso você não conheça nenhum ou algum deles, dê uma olhada porque valem a pena.

[BEDA] 5 jogos que eu gosto muito

OH GOSH, citar aqui os jogos que mais gosto vai denunciar a minha idade, haha… Mas que se dane, eu nem ligo 😛

Vamos lá porque “games” é o meu assunto FAVORITO!


5 jogos que eu gosto muito

1 –  The King of Fighters’97

Esse é o meu jogo predileto. Passei tardes inteiras jogando em casa, fui viciadona meeesmo! E esse ano faz 20 anos que foi lançado.

KOF’97 é na minha opinião o melhor jogo de luta que já saiu!!!

2 – Super Mario 64

Esse aqui é outro que me acompanhou durante a infância. Foi o primeiro jogo que eu joguei sozinha até salvar. Sou tão apaixonada por Super Mario 64, que dei um jeito de colocar esse jogo no meu PSP.

*NOTA: Teoricamente, nenhum jogo do Mario deveria “rodar” num PSP, porque são feitos por empresas diferentes. Mario é uma franquia da Nintendo, que produz o Gameboy, e o PSP é o portátil da Sony, dona da marca Playstation.

3 – The Legend of Zelda: Ocarina of the time

Outra franquia que eu amo. Esse em especial é o meu preferido. Salvei logo que terminei Super Mario 64. Foi jogando Zelda que eu comecei a entender melhor de inglês, e eu tinha apenas 11 anos…

4 – Resident Evil 3: Nemesis

Salvei aos trancos e barrancos! Levava cada susto com aqueles barulhos dos zumbis arrombando as portas, às vezes eu jogava com o volume da tv baixo para não dar medo, haha. Ótimo jogo!

5 – Pokemon Sapphire

Claro que não podia faltar pokémon! Apesar de ser um jogo de Gameboy, fiz uma gambiara para rodá-lo no psp. Gosto dos primeiros jogos de Pokémon para Gameboy, e estou jogando o Sapphire novamente por motivo de SIM.

[BEDA] Livros que me inspiram

Escolhi duas biografias que li recentemente: A garota da banda – Kim Gordon e Só garotos – Patti Smith.

Duas mulheres do mundo do rock, que passei a admirar.


Kim-Gordon

Quem é Kim Gordon.

Instrumentista, vocalista, artista visual, produtora musical, diretora e atriz. Ganhou notoriedade como baixista da banda pós-punk Sonic Youth, que ela formou com Thurston Moore e Lee Ranaldo em 1981. Em 1990, dirigiu o videoclipe de “Cannonball”, do Breeders, em colaboração com Spike Jonze. Anos mais tarde, lançou sua própria marca de moda, a X-Girl. Atuou no filme Últimos dias, de Gus Van Sant, e participou de episódios das séries Gossip Girl e Girls. Em 2012, após a dissolução do Sonic Youth, Kim formou o Body/Head com seu amigo Bill Nace. Em junho de 2015, a 303 Gallery, de Nova York, inaugurou uma mostra com seu trabalho. Fonte Editora Rocco

A garota da banda

A primeira coisa que tenho à dizer sobre esse livro, é que você não precisa ser fã do Sonic Youth para lê-lo.

kim-gordon-700x525

Sempre achei a Kim muito reservada, apesar de famosa. Ela tem um olhar meio triste demais para quem tem uma vida tão legal (na minha imaginação né). Só lendo sua bio é que fui entender sua realidade.

O livro começa pelo fim da banda, e o último show no SWU (Itu – São Paulo) em 2011. Ela e Thurston já estavam separados, e ele falava com todos da banda, menos com ela (parece que esse tipo de atitude não é exclusividade de nós, que não somos famosos).Kim-Gordon-bass

Ela fala da sua vontade de trabalhar com arte, a internação do seu único irmão (que sofre de esquizofrenia), como seus pais eram ausentes, sua mudança para a China na adolescência (saiu da Califórnia para a China), a história sobre como ela descobriu que seu marido a traía, a gravidez tardia… tem muita coisa interessante no livro.

Gente, eu ainda não tenho “as manhas” de fazer resenha de livros/filmes, então vou deixar aqui embaixo o link da editora Rocco, com um trecho do livro.

a_garota_da_banda


 

patti-smith1

Quem é Patti Smith.

Nascida em 1946 em Chicago, Estados Unidos. Antes de completar 21 anos, mudou-se para Nova York, onde conheceu Robert Mapplethorpe, seu companheiro e amigo de muitos anos. Patti ganhou reconhecimento nos anos 1970 por sua fusão revolucionária de poesia com rock, e seu disco Horses, tido como precursor do punk, é considerado um dos cem melhores álbuns de todos os tempos. Ela gravou uma série de discos e publicou livros de poesia como Babel e Auguries of Innocence. Em 1973, Patti expôs seus primeiros desenhos. Em 2008, a Fundação Cartier de Paris fez uma grande mostra com fotografias, instalações e desenhos da artista. Fonte Companhia das Letras

Só garotos

Patti Smith and Robert Smith, New York
Patti Smith e Robert Mapplethorpe

Crescida numa família modesta de Nova Jersey, Patti trabalhou em uma fábrica e entregou seu primeiro filho para adoção, antes de se mandar para Nova York, com vinte anos, um livro de Rimbaud na mala e nada no bolso. Era o final dos anos 1960, e Patti teve de se virar como pôde: morou nas ruas de Manhattan, dividiu comida com um mendigo, trabalhou e dormiu em livrarias e até roubou os colegas de trabalho, enquanto conhecia boa parte dos aspirantes a artistas que partilhavam a atmosfera contestadora do famoso “verão do amor”. Fonte Companhia das Letras 

Primeiramente acredito que a tradução do título esteja errada, “Just kids” é mais para “apenas crianças”.

Cara, que bio deliciosa! A Patti Smith tem uma história muito louca! No livro ela conta tudo que foi citado acima, e nos permite passear pela Nova York da época. Sério, eu realmente me senti em NY.patti-smith3

O interessante, é que assim como a bio da Kim Gordon, a bio da Patti se cruza com movimentos que estavam surgindo na época.

patti-smith2

[BEDA] Meus 10 filmes preferidos

Se tem uma coisa que ando falando bastante aqui é sobre filmes hein…

Essa postagem faz parte do BEDA (Blogging everyday in August) do grupo Universo Alternativo.

Estes são os 10 filmes que escolhi colocar no post, mas tenho beeeem mais de 10 filmes preferidos. 🙂


Meus 10 filmes preferidos

1 – Faster pussycat! Kill! Kill!

“No deserto californiano, três strippers em carros esportivos, após um racha com um casalzinho ingênuo, acaba matando o rapaz e sequestrando a garota. Em um posto de gasolina uma das garotas toma conhecimento de uma bolada em dinheiro guardada por um velho deficiente físico que mora com dois filhos, um deles demente. Usando a garota sequestrada como isca para se aproximar do rancho do velho e colocar a mão na bolada, a stripper Varla (Tura Satana), juntamente com as outras controladas por ela, tentam seduzir o velho e os filhos com o intuito de encontrar o dinheiro.” Fonte 

Já falei o que acho desse filme aqui. Mas se quiser ler um pouco mais, aqui tem um bom texto sobre esse clássico do cinema.

2 – Up! Altas Aventuras

“Carl Fredricksen é um vendedor de balões que, aos 78 anos, está prestes a perder a casa em que sempre viveu com sua esposa, a falecida Ellie. Após um incidente, Carl é considerado uma ameaça pública e forçado a ser internado. Para evitar que isto aconteça, ele põe balões em sua casa, fazendo com que ela levante voo. Carl quer viajar para uma floresta na América do Sul, onde ele e Ellie sempre desejaram morar, mas descobre que um problema embarcou junto: Russell, um menino de 8 anos.” Fonte

Mais profundo que muito “filme de adulto”. Odeio quando as pessoas ficam preconceituosas com animações, achando que é filme para criança… Enfim, Up! Parece um chacoalhão do tipo: Vai! Vai atrás dos seus sonhos, vai viver sua vida caceta! Adoro! ❤

3 – Beleza Americana

“Lester Burham não aguenta mais o emprego e se sente impotente perante sua vida. Desencantado com sua esposa Carolyn e pai da adolescente Jane, o melhor momento de seu dia é quando se masturba no chuveiro. Porém seus objetivos mudam quando conhece Angela Hayes, amiga de Jane. Encantado com sua beleza e disposto a dar a volta por cima, Lester pede demissão e começa a reconstruir sua vida com a ajuda de seu vizinho Ricky.” Fonte 

Pesado.

4 – Django Livre

“No sul dos Estados Unidos, anos antes da Guerra Civil, um ex-escravo Django faz uma aliança inesperada com o caçador de recompensas Schultz para caçar os criminosos mais procurados do país e resgatar sua esposa de um fazendeiro que força seus escravos a participarem de competições mortais.” Fonte 

Então, eu vi esse filme no cinema, foi maravilhoso. Na minha opinião é um dos melhores do Tarantino. E a trilha sonora é ótima também.

 5 – La bamba

“Em 1958, o adolescente de Los Angeles Ritchie Valens torna-se um astro do rock da noite para o dia, graças a uma música chamada Donna, que ele compôs para sua namorada, cujos pais não queriam que ela namorasse um rapaz latino. Mas enquanto sua estrela brilha, Valens tem conflitos com Bob, seu irmão ciumento, e é assombrado pelo pesadelo de um acidente de avião quando começa sua primeira turnê nacional.” Fonte 

Filme sobre o dia em que a música morreu (como cantou Don Maclean em American Pie – a música é sobre o acidente de avião). Esse filme é sobre o Ricardo Valenzuela (Ritchie Vallens), que morreu num acidente de avião junto com outros artistas do rock, como Buddy Holly. Para quem não conhece Ritchie Vallens, e não sabe muito sobre essa fase do rock’n roll, é legal assistir.

6 – Náufrago

“O dedicado funcionário executivo da FedEx, Chuck Noland, viaja a trabalho para a Malásia quando o avião da empresa cai sobre o Oceano Pacífico durante uma tempestade. Como o único sobrevivente do acidente, Chuck vai parar em uma ilha deserta. Quando suas tentativas de socorro se esgotam, Chuck aprende a sobreviver na ilha.” Fonte 

WILSONNNN! Tenho um carinho especial sobre esse tipo de tema, haha. É muito a minha cara! Forma uma tríade aventureira junto com Lost e o livro 100 dias entre céu e mar, do Amyr Klink, haha.

7 – Sob o sol da Toscana

“Frances Mayes fica devastada ao descobrir que seu marido é infiel. Sua melhor amiga Patti, com a intenção de ajudar, sugere que ela faça uma viagem pela Itália. Frances gosta da ideia e, durante o passeio, impulsivamente decide comprar uma casa em um vilarejo toscano. Agora a recém-divorciada inicia uma nova vida ao lado de personalidades interessantes, incluindo o bonito Marcello.” Fonte 

Também já falei sobre esse filme aqui. É lindo!

8 – Easy Rider

“Wyatt e Billy são motoqueiros que viajam pelo sul dos Estados Unidos. Após levarem drogas do México até Los Angeles, eles as negociam com um homem em um Rolls-Royce. Com o dinheiro da venda armazenado em mangueiras dentro dos tanques de gasolina, eles vão rumo ao Leste na tentativa de chegar em Nova Orleans, em tempo para o Mardi Gras, um dos Carnavais mais famosos do mundo.” Fonte 

Esse filme me passa uma sensação ótima de liberdade.

 9 – 2 coelhos

“Edgar encontra-se em uma situação bem conhecida para a maioria dos brasileiros: preso entre a criminalidade e o poder público corrupto. Cansado dessa vida, ele planeja fazer justiça com as próprias mãos e executa um plano que colocará criminosos e corruptos em rota de colisão.” Fonte 

Adoro esse filme. Tem a minha musa: Alessandra Negrini, se passa em São Paulo, e apesar de a história não ser das melhores, tem muitos efeitos visuais que deixam o filme interessante. Vale a pena assistir.

10 – Nome próprio

“Em São Paulo, Camila sonha em escrever um livro. Ela cria um blog onde escreve de forma compulsiva sobre suas experiências intensas e às vezes, inconsequentes. Ao viver uma existência complexa, sua obsessão com a escrita também provoca o isolamento.” Fonte 

Esse filme é baseado livro da Clara Averbuck, o Máquina de pinball. Gosto porque a relação da Camila com a internet é parecida com a minha, a diferença é que tudo que eu já escrevi por aí, apaguei. O filme também tem uma pegada meio “junkie”, que eu adoro. Gosto dos rolês que ela dá pela cidade, da história dela com o boy, até das brigas deles. A trilha do filme também é ótima.

 


Então é isso, tem algum filme aqui que você não conhecia? Fala aí nos comments 🙂

Pessoal, não esquece de passar nos outros blogs que estão participando também.

Bejão :*

Mini-bio: TURA SATANA

Se tem uma coisa que eu adoro é trazer aqui mulheres que de alguma forma possam servir de inspiração. Até fazer a pesquisa sobre a vida da Tura Satana, eu não tinha ideia de como era a vida dela. Achei tudo tão interessante, que resolvi postar aqui uma mini-bio.

Espero que gostem 🙂


 

Até hoje, a influência da atriz Tura Satana pode ser encontrada na cultura pop. Pelo nome, você pode até não saber quem é, mas com certeza já a viu por aí.

Tura Luna Pascual Yamaguchi nasceu no Japão em 1938. Seu pai era um ator de origem japonesa e filipina, e sua mãe, artista circense, de origem escocesa-irlandesa e indígena.

tura-satana2

De arruaceira à dançarina burlesca

Sua trajetória foi marcada por tragédias desde cedo. Aos 9 anos Tura foi estuprada por 5 homens, que nunca foram condenados. Este acontecimento fez com que ela se esforçasse na prática de artes marciais, mais especificamente karatê e aikido, e passasse 15 anos procurando cada um dos estupradores para se vingar – “Eles nunca sabiam quem eu era, até que eu dissesse”. Nesta época, formou uma gangue com outras garotas da vizinhança, chamada The Angeles.

Tura admite ter sido uma jovem delinquente. Por causa disso, foi mandada para um reformatório.

Com 13 anos Tura casou-se com um rapaz de 17 (John Satana), num casamento arranjado, para a união de suas famílias. É claro que isso não deu certo, e o casamento durou menos de um ano.

Foi para Los Angeles, e tornou-se dançarina burlesca (além de posar nua) usando uma identidade falsa, pois tinha apenas 15 anos. Fez muito sucesso por ter traços orientais, e seios grandes.

tura-satana01
Gente, ela podia estar na lista das pin-ups do outro post!

Aos 19 anos, Tura ficou grávida, mas permaneceu dançando até o oitavo mês de gestação! Ela acredita que a experiência como dançarina tenha lhe ensinado muito.

Teve um romance com o rei do rock, Elvis Presley, que durou alguns meses (fofocas dizem que Elvis a pediu em casamento, mas ela não aceitou).

Carreira no cinema

Foi no começo do anos 60 que Tura se aventurou no cinema, sendo seu primeiro papel, o da prostituta Suzette Wong, em Irma La Douce (1963), além de ter feito aparições na tv. Pouco depois, apareceu o papel que a deixaria em evidência. Tura encarou o convite como uma oportunidade de interpretar um papel real e não ser apenas um objeto em cena, e aceitou o desafio! Resultado: a ótima performance como VARLA em Faster Pussycat! Kill! Kill! (1965).

tura-satana2.jpg
Suzette Wong (Irma La Douce – 1963)

Russ Meyes, diretor de Faster Pussycat! Kill! Kill! atribui à Tura, a fama do filme.

tura-satana03
Varla (Faster Pussycat! Kill! Kill! – 1965)

Outro filme interessante na carreira de Tura, é The Doll Squad (1973), que teria inspirado a criação das Panteras (Charlie’s Angels).

 

“Retiro”

Logo após essa filmagem, outra tragédia atingiu Tura, desta vez na forma de um ex-namorado possessivo com uma arma. Neste período de “retiro” da vida artística, Tura trabalhou num hospital, e na polícia de Los Angeles. Em 1981, sofreu um acidente de carro, que resultou em internação e quinze operações.

Em 2002, fez seu retorno ao cinema, através do filme Mark of the Astro-zombies (não sei se tem em português gente).

 

A pessoa

Tura era casada com um ex-policial de Los Angeles, e teve duas filhas. Morreu com 72 anos, em 4 de fevereiro de 2011, de insuficiência cardíaca.

tura-satana014

Por tudo que aconteceu em sua vida, eu tenho uma imensa admiração por essa mulher!

 

Conheci a Mayra Dias Gomes!!!

Mayra Dias Gomes é uma escritora de 29 anos, filha do dramaturgo Dias Gomes. Nasceu no Rio de Janeiro, mas mora atualmente em Los Angeles com seu marido Coyote Shivers (o Berko do filme Empire Records). Aos 19 anos, teve seu primeiro livro publicado pela editora Record, o Fugalaça, que foi escrito durante a sua fase de depressão, e tornou-se um clássico da literatura underground.

Ela está no Brasil, e promoveu dois encontros com seus fãs. Eu fui no de São Paulo!

Linda né? Parece uma pin-up!

Além de Fugalaça Mayra tem outros 3 livros publicados

  • Mil e Uma Noites de Silêncio (2009)
  • Dias Gomes (2012)
  • Finalmente Famosa (2015)

Fugalaça

Conheci o livro Fugalaça em 2012/2013, quando uma amiga do trampo comentou comigo, e disse que eu ia gostar. Só fui ler bem depois, porque estava difícil de encontrar, esgotado em todas as livrarias que eu fui. Acabei comprando a versão e-book.

SINOPSE

FUGALAÇA é um retrato da juventude contemporânea e de seu desespero. Mas é também a história de uma garota. Em seu mundo nada cor-de-rosa, ela vive em algum lugar entre o prazer e a angústia. E caberá ao leitor condená-la ou absolvê-la. Utilizando uma linguagem pop, ágil e atual, Mayra surpreende ao contar a história de Satine, uma espécie de alter ego que mergulha fundo no clichê sexo, drogas e rock’n’roll depois de perder o pai aos 11 anos e ver sua entrada na vida adolescente tomar novos rumos. Uma estréia arrebatadora, FUGALAÇA traz em suas páginas a intensidade da juventude e o quanto ela pode ser libertadora e cruel.

Fonte: Amazon

Eu curto histórias junkies, mas fico um pouco frustrada por encontrar apenas protagonistas homens. São poucas as histórias assim com mulheres, ou escrita por mulheres. Além de Fugalaça, só lembro de Máquina de Pinball da Clara Averbuck (que ainda não li porque está sempre esgotado, mas vi o filme). Christiane F não conta porque não é obra de ficção.

Fugalaça rapidamente se tornou um dos meus livros preferidos, e passei a acompanhar a Mayra em todas as suas redes sociais. Ela é muito ativa na internet, e isso a torna mais próxima dos fãs. Foi pelo twitter que eu soube dessa visita ao Brasil.

Importante dizer que quem assina a orelha do livro, é outra escritora maravilhosa: Fernanda Young.

Meeting

O encontro foi no Astor Bar, na Vila Madalena dia 15/07 (último sábado). Fiquei muito feliz em conhecê-la, e mais ainda por confirmar que ela é uma pessoa extremamente simpática e atenciosa. Fala com todo mundo, autografa quantos livros ou revistas você levar, tira foto com todo mundo, conversa sobre tudo, amei demais! ❤

Se você ainda não leu Fugalaça, dá uma olhada porque o livro é ótimo! Quem tem o kindle, pode baixar uma amostra do livro antes de comprá-lo. 😉 #fikdik

Boas resenhas sobre Fugalaça

Babi Dewet

Digestivo Cultural