SHOW DO AS INFINITY

Fazendo esse post só prá dizer que realizei o sonho de ver o show de uma banda que adoro: DO AS INFINITY.

Conheci o DAI há anos atrás, quando era fã de anime. A banda tem 2 músicas na trilha de Inuyasha (Fukai Mori e Rakuen). A fase otaku passou, mas continuei fã.

Em 2005 eles se separaram e entraram num hiato. Minha chances de vê-los ao vivo era de ZERO.

Duas semanas antes do Anime Friends 2017, eu estava no facebook, e soube que eles tocariam no primeiro dia da Friends. Essa informação apareceu no meu feed DO NADA. Eu nem curtia a página do evento, porque há anos parei de ir, então, não sei o quê foi que algoritmo louco do facebook fez, que a informação apareceu prá mim.

De qualquer forma: MUITO OBRIGADA! Fiquei muito feliz! 🙂

DSCN8484
Membros fundadores
DSCN8561
Ryo Owatari
DSCN8523
Tomiko Van
DSCN8452
A banda

WORLD GOTH DAY 🦇 ⚡

Essa semana vou fazer 2 posts especiais em comemoração ao WORLD GOTH DAY!

O primeiro deles é uma listinha de bandas que fazem parte da subcultura, mas são completamente diferentes. Espero que gostem!

Siouxsie and the Banshees
Essa banda é um ícone. Não apenas musical, mas também visual. A Sioux é uma das artistas que mais gosto e admiro. O visual impactante, a voz diferentona, e o fato de ser mulher num ambiente predominantemente masculino são apenas 3 fatos que me fazem admirá-la ainda mais.
Curiosidade: Robert Smith e Sid Vicious já fizeram parte da banda.

 

Nightwish
Ok, muita gente pode discordar, porque a banda mudou muuuuito. Mas quem viveu a adolescência nos anos 2000, cansou de ouvir NW nas baladinhas góticas (pelo menos aqui em São Paulo). Tem gente na subcultura que gosta de Gothic Metal, tem gente que não gosta, aí vai de cada um. O NW foi uma banda pontual na minha vida. Fui muito fã, ainda gosto, mas não acompanho como antes.
Você pode até não gostar da banda, ou achar que não existe Gothic Metal, e sim bandas de metal com mulheres no vocal. Mas é impossível negar a importância do Nightwish. Seja influenciando outras bandas, seja influenciando fãs a fazerem aula de canto ou até aprenderem finlandês!

 

KMFDM
Dessa listinha essa é a única banda que conheci depois de adulta. Não sei classificar o som do KMFDM, alguns dizem industrial, outros chamam de cyber alguma coisa, eu não sei classificar, mas sei que o som é muito bom. A banda acabou em 1999 (quase 20 anos atrás), mas o som continua super atual. Não digo as letras, mas a parte instrumental é atemporal. Poderia ter sido composta este ano, por exemplo. Isso sem contar as artes das capas! É cada capa linda!!! Se você nunca ouviu, procura lá no Spotify que tem.


 

Bom, essas são apenas 3 bandas que escolhi para postar. A subcultura gótica tem muuuuuita diversidade musical, é difícil falar sobre tudo.

É isso! 🙂

Say hello to heaven…

Chris Cornell morreu.

Morreu não, se matou.

São situações bem distantes e diferentes.

Tive muito mais com dificuldade em lidar com o fato do suicídio, do que com a tristeza da morte.

Quando alguém numa atividade assim como: música, teatro, humor, se suicida, fico pensando no peso silencioso que cada um carrega, e como isso às vezes é imperceptível.

Pode ter certeza que a música influencia diretamente na vida das pessoas. Ela sempre traz algum tipo de alento para quem a ouve, mas infelizmente nem sempre para quem a faz.

Lá se foi um músico que eu gostava muito, e que nunca consegui ver um show.

Chris Cornell, você vai fazer falta, descanse em paz.

Maximus Festival 2017!

Sem sombra de dúvidas,  a minha expectativa, e o grande o motivador para que eu fosse ao Maximus, era o Slayer. Eu nunca tinha visto show da banda, e a oportunidade seria ótima, considerando que o festival era grande, e tinha outras bandas que eu ia conseguir ver também.

Mas a verdade, é que mesmo sendo uma banda foda, e um show sem nenhum defeito, também não tinha nada de novo. A não ser a música de abertura, que é do cd mais recente, e a ordem das músicas tocadas. Não tem como saber a ordem em que elas vão rolar, mas a gente sempre sabe quais músicas a gente vai ouvir num show do Slayer. Enfim, show foda, de uma banda foda.

DSCN8320

Para mim, o ápice do festival foi com certeza PROPHETS OF RAGE.

Setlist manjado? Sim, 90% de RATM. E eu te pergunto: E DAÍ? Os 10% restantes foram Cypress Hill, Public Enemy e … mano, tocaram até House Of Pain. Sabe quando eu imaginei ouvir Jump Around ao vivo? NUNCAAA! Fiquei felizona!!! Mas podia ter rolado mais sons do PE, só Fight the Power também achei sacanagem.

DSCN8356DSCN8359DSCN8338

Consegui ver o Hatebreed, foi legal, mas curto demais. Não consegui nem formar uma opinião sobre.

DSCN8225

Outro show que eu tava super afim, e me deixou bem feliz, foi Pennywise. Infelizmente eu perdi uns 30 minutos do show, mas consegui ver bastante coisa ainda. Clássico é clássico né!

DSCN8273

Quase esqueço de comentar a minha surpresa com a banda FIVE FINGER DEATH PUNCH. Confesso que ao vivo não parecia tão ruim. Eu tinha visto um vídeo no youtube antes e… meu, não aguentei ver tudo, achei péssimo. Mas ao vivo parece ser menos chato. Talvez eu tenha que ouvir um pouco mais para gostar.

É isso 🙂

NERVOSA THRASH

NERVOSA – FEMALE THRASH METAL DO BRASIL!

Se você curte metal, quando falamos de thrash metal qual banda contendo mulheres na formação vêm à sua cabeça?

Difícil né. Mas estou aqui para responder à esta pergunta, e lhe apresentar a sua mais nova banda favorita de thrash metal.

Habemus NERVOSA!

1800469_602719359776512_310623611_n
NERVOSA THRASH!

O Nervosa é um power trio de São Paulo, formado por Fernanda Lira (vocal e baixo), Prika Amaral (guitarra e backing vocals) e já teve como baterista a excelentíssima Pitchu Ferraz, que entre outras bandas, já tocou até com as Mercenárias. Atualmente estão em turnê pela Europa com uma baterista convidada, a canadense Samantha Landa. Entrou uma nova baterista na banda em Março de 2017, a Luana Dametto.

A banda começou com a Prika Amaral, em fevereiro de 2010, pouco mais de um ano depois, em julho de 2011,  entrou a Fernanda Lira, assumindo o vocal e o baixo. À partir de então, começaram à compor, gravar e fizeram seus primeiros shows.

“2012”

Em agosto de 2012 saiu a primeira demo, que leva o nome de “2012”, e foi lançada no Brasil de maneira independente, contendo 3 faixas. No exterior, o título foi alterado para “Time of Death”, e lançado em formato de vinil turquesa pela Napalm, e vinil transparente pela Nuclear Blast.

Neste ano fizeram mais de 50 shows pelo país, e dividiram o palco com bandas como Exodus, Grave e Samael, no festival Roça ‘n roll (já fui e recomendo!).

“VICTIM OF YOURSELF”

Victim of Yourself é o primeiro álbum da banda. Foi lançado em 2014 e contém 14 faixas.

Juntamente com o disco, foram lançados dois clipes: “Into the moshpit” e “Death!”, que alcançou recorde de visualizações entre os vídeos da banda.

Entre 2014 e 2015, a banda esteve mergulhada em longas turnês de promoção do disco. Tocaram em 17 estados do Brasil, 7 países da América Latina, fizeram turnê pela Europa, onde tocaram em 16 países e fizeram 51 shows em 60 dias (oloko!). Tocaram em grandes festivais  como o Summerbreeze, Brutal Assault e Obscene Extreme, além de outros.

Sente o drama:

“AGONY”

Em 2016 foi lançado “Agony”, segundo álbum da banda, gravado e produzido nos Estados Unidos (chique!).


No Brasil, o último show antes da atual turnê européia, foi o de encerramento das atividades do Inferno Club na Rua Augusta, em São Paulo (RIP Inferno Club).

CURIOSIDADES

  • O primeiro clipe da banda, Masked Betrayer, foi lançado em março de 2012, e atingiu 20 mil visualizações em uma semana, número de views bem significativo para uma banda jovem. Esta marca fez com que recebessem menção honrosa do youtube.
  • Korzus, Ratos de Porão, DRI e Destruction são algumas bandas da cena MUNDIAL, com as quais o Nervosa já dividiu o palco.

Álbuns:

2012 / Time of Death – EP

Victim of yourself (2014)

Agony (2016)

Onde encontrar a banda:

http://nervosaofficial.com

https://www.facebook.com/femalethrash

http://www.youtube.com/user/NERVOSAthrash

http://twitter.com/nervosathrash

https://soundcloud.com/nervosathrash

nervosa