Três postagens antigas favoritas (Universo Alternativo)

Oi gente!

Este é o meu primeiro post participando do projeto Escrita Mensal – do grupo Universo Alternativo, criado pela Jaque, do blog 4sphyxi4.

 

Como funciona

O projeto consiste em posts sempre no dia 15 de cada mês, com um tema definido, que está disponível lá no facebook.


 

E nesse dia 15 de junho, o tema é: 3 postagens antigas favoritas.

Como esse aqui é o meu milésimo blog, e não tem muito tempo de vida (tem 2 meses), os textos antecedentes à isso peguei dos outros blogs que escrevia. Decidi fazer um blog só para falar de tudo, sem assunto específico sabe?

Anyway, aqui estão as minhas 3 postagens favoritas. Espero que gostem 😀

1. Reveillón em Ilhabela

Praia do Bonete em Ilhabela
Bonete (Ilhabela)

Foi a primeira vez na minha vida em que acampei na praia, e em Ilhabela. Foi ótimo. Passei o reveillón de 2015 para 2016 acampada lá. Quem já fez a trilha para o Bonete, sabe como é pesada, mas também sabe como vale a pena. ❤

Se você tem vontade de saber como é esse rolê, dá uma olhada no meu texto, que pode ajudar.

 

2. Trekking na Pedra da Mina

PEDRA DA MINA (MINAS GERAIS)
PEDRA DA MINA (MINAS GERAIS)

Foi o trekking mais difícil que já fiz até hoje. A Pedra da Mina (MG), é o 4º pico mais alto do Brasil (2798 metro de altura), e eu consegui vencê-lo com uma mochila de 9 quilos nas costas, gripada e bem despreparada. Mas no final deu tudo certo.

Não aconselho fazer do jeito que eu fiz, mas aconselho todo mundo a pelo menos uma vez na vida fazer essa subida.

Aqui meu texto

 

3. Minha ida ao Maximus Festival

DSCN8279
Palco do Slayer

Para não ficar só nas lembranças do passado distante, resolvi colocar como postagem preferida, a minha ida do Maximus deste ano. Não é nem pelo post, mas por toda a mágica que aconteceu para que eu conseguisse ir nesse festival.

Aqui meu texto 😀


 

Não esqueça de visitar os outros blogs participantes do projeto, ok?

Asfixia

Fala Tef

Relíquias da Lara

Lady Darks

Tary Belmont

A guria de moletom

 

Bejão!

Praia do Bonete em Ilhabela

TRIP: Trekking em Ilhabela (Bonete e Castelhanos)

Vou contar abaixo sobre como foi o trekking que fiz em Ilhabela no reveillon. Se você está afim de uma experiência diferente no final do ano (ou qualquer outra época), eu super recomendo acampar no Bonete ou em Castelhanos.


DIA 1 – ILHABELA / TRILHA / BONETE

IMG_6872

Chegamos ao litoral, pegamos à balsa para Ilhabela e almoçamos antes de começar a trilha. Ainda tínhamos um percurso de quase uma hora de ônibus na própria ilha, para chegar até o início da trilha, que tinha uma pouco mais de 10km.

A praia do Bonete abriga por volta de 270 pessoas (de acordo com as informações espalhadas pela ilha). Não há luz elétrica (somente através de geradores), e também não há sinal de internet (não em todo lugar), mas se você precisar, há um ponto de wifi gratuito em frente uma pequena escola, que todos chamam carinhosamente de “lan house”, é bem fácil de achar, fica muita gente em pé ali usando a internet.

IMG_0120 (2)
Bonete

O fato de a praia não ser badalada, a torna muito especial. Claro que talvez você encontre turista sem noção invadindo o espaço do outro com sua falta de educação ou suas músicas incômodas, mas isso é bem raro. Quem busca fugir dos lugares óbvios tem na praia do Bonete uma ótima opção.

As únicas formas de chegar até a praia são pela trilha, ou de barco, onde se não me engano é cobrado um valor de aproximadamente 70$ por pessoa. Sinceramente acho que ir pela trilha agrega muito mais à experiência, do que ir de barco.

O ideal é começar a trilha bem cedo, para que você consiga apreciar a vista, e também para que não termine a trilha à noite. Não é perigoso, mas à noite você perde toda a vista. Alguns pontos são bem altos e a vista é incrível. Vale muito a pena! Mas se a noite cair e você ainda não tiver terminado, terá a companhia dos fofíssimos vagalumes que ficam pousando na nossa roupa. Também aconselho a levar lanterna, uma boa lanterna!

IMG_6842
mirante

Na praia existem pousadas, e áreas de camping. Alguns campings com água quente e cozinha, e soube de uma pousada que possui até banheira. Ou seja, há opções bastantes para todos os gostos.

Se o seu camping não possui cozinha, você pode tomar café da manhã em alguma das pousadas, ou nos estabelecimentos dos caiçaras (onde eu tomei café todos os dias). Eu sinceramente recomendo o café dos caiçaras, primeiramente pelo valor, e também pelo fato de ter a opção de pão caseiro ❤

IMG_0119_edit

Um dos cuidados que você deve tomar é com os borrachudos. Repelente bom mesmo é o óleo de citronela, que se você não comprar antes da viagem, pode comprar lá mesmo no Bonete, só precisa encontrar. Eu usei os repelentes clássicos, um em spray  e outro em creme, ambos da mesma marca. Na verdade nenhum deles agiu como o esperado, notei que diferença entre um e outro é mesmo o tempo de duração, mas não são tão eficazes contra borrachudos. Também levei aquela pulseirinha, mas não funciona. Talvez funcione em áreas com outros tipos de mosquitos, ou aqui na cidade. Existe a lenda de que os borrachudos preferem picar as pernas e os pés, por isso muita gente fica o tempo todo de meia. Eu não sei se funciona, mas sei que além das pernas e pés eles picam qualquer outra parte do seu corpo. Aliás, cuidado ao tomar sol na praia com o bumbum prá cima, hahaha.

DIA 2 – BONETE

IMG_0045PRAIA-PRAIA-PRAIA! A previsão era de chuva, mas fomos agraciados com um dia lindo e ensolarado. A praia é ótima, ouvi muita gente dizer que ali o mar é bravo, mas até nisso tivemos boa sorte, pois o mar estava calmo, e a água muito convidativa!

Café-da-manhã

Sobre o café da manhã, se você não tiver local para fazer o seu, conseguirá encontrar andando pela vila. Nós fomos até o estabelecimento de um caiçara, que servia tudo feito em casa <3: pão, café, bolo, suco… Ele também tinha à venda aquele repelente de óleo de citronela. Se você preferir um café da manhã com mais opções, pode procurar uma pousada, pois é possível pagar pelo café.

Almoço

As mesmas pousadas onde você pode pagar pelo café, oferecem almoço. Mas tem bastante restaurante por ali, pelo menos achei mais fácil encontrar almoço, do que café da manhã.

DIA 3 – BONETE / TRILHA / CASTELHANOS

Mais uma trilha. Desta vez para a praia de Castelhanos. Esta praia também possui outras alternativas além da trilha, você pode ir de carro, por exemplo.

A trilha do Bonete para Castelhanos tem X km. Meu grupo estava beeem cansado e não topou fazer a trilha toda, então fizemos metade de barco, a parte que sai de Bonete e vai até a praia de Indaiauba, que dizem ser a pior parte da trilha. Ficamos um pouco nesta praia, que aliás, é muito boa, mas cheia de pedras, e se deixar, a água te leva! Depois seguimos para cumprir o restante da trilha até Castelhanos. A trilha é beeem mais diíficil que a trilha para o Bonete porque como não é mais usada, pois é possível chegar à praia de carro, a mata já está fechando. Tem muita subida, muita subida mesmo! Quando fiz a trilha choveu, então estava bem fácil de escorregar. Aconselho a levar um bastão de caminhada, porque ajuda muito! Além das várias subidas, tem alguns atoleiros, que se não tomar cuidado, podem levar seu tênis embora, então use seu bastão para ver se está bom para pisar. Durante a trilha tem também muito tronco caído, tronco grande, que você tem que passar subindo nele, mas alguns você pode se agachar para passar, mas tem que tirar a mochila. E a cada tronco caído no meio da trilha eu me perguntava: Nem prá cair fazendo uma ponte sobre os rios né? Enfim…

IMG_0170_edit
Praia de Indaiauba

Mesmo tendo feito o início do caminho de barco, caminhamos ainda por cerca de 5 horas, até chegar na praia Vermelha. O último mirante antes de chegar lá é muito bonito! Você está num ponto muito alto e consegue ver toda a extensão da praia. Ao olhar para trás, você vê como a mata é fechada e se pergunta: Por quê que eu tô fazendo isso mesmo? Hahahahaha, mentira 😛 .

Uns poucos metros antes de chegar na praia, tem um rio para atravessar que é perigoso passar com a mochila. Eu passei pulando nas pedras, mas tem que tomar muito cuidado para não escorregar, porque estão cheias de musgo. Nesse local também há uma bifurcação, onde o lado errado vai te fazer dar uma volta maior, ou seja, perder tempo. O lado certo a seguir é o direito. Aproveite para reforçar o repelente neste momento!

Neste rio encontramos um caiçara que ofereceu barco para nos levar até Castelhanos, mas dissemos não (não me pergunte a razão, ainda estou tentando entender…). Andando mais um pouco, passamos por uma casa com um cachorro maravilhoso que não parava de latir e parecia bem bravo (li sobre ele num outro blog, parece que se chama BARULHO, veja só). Ainda bem que ele não apareceu, pois pelo o quê li ele morde.

Ali na praia Vermelha não se pode acampar, ainda bem, porque iam acabar com o lugar rapidinho. A praia é pequena, mas muito bonita, só tem os caiçaras mesmo… e seus cachorros <3.

Encontramos ali na praia, o mesmo menino que estava no rio oferecendo o barco, ele já tinha chegado, e até trocado de roupa. Conversamos com o pessoal ali, eles nos disseram que ainda tinha mais ou menos uns 45 minutos de trilha até Castelhanos, daí pensamos: 45 min de trilha para eles deve ser no mínimo mais de 1 hora para nós, como estávamos beeeem cansadas, resolvemos ir de barco.

Durante toda a trilha, não aconselho nunca a olhar para a frente para não desanimar, olhe sempre para o chão e stay strong!

DIA 4 – CASTELHANOS / SAMPA

Castelhanos é uma praia linda, aconselho todos a visitarem!  Infelizmente o tempo estava fechado, então não deu  para aproveitar muito da praia, mas eu com certeza voltaria! Como essa praia tem acesso por carro, ela acaba tendo uma infra maior que o Bonete, então você consegue campings com água quente com mais facilidade, sem precisar se estapear para ver quem chegou primeiro. Não andei muito por lá, então não vi muitas opções de restaurantes. Sinceramente, no quesito refeição achei o Bonete melhor. Também não achei local que vendesse sorvete :/

Agora a parte mais chata: IR EMBORA 😦

Bom, você pode voltar para Ilhabela de Off-road, que foi o quê fizemos, e é muito legal. Na verdade, creio que se você foi através da trilha e não tem ninguém te esperando com carro ou moto, o jipe é a única opção mesmo.

Então é isso! Obrigada por ler (: